A garota que espalha bolinhos

bolinho

São centenas de bolinhos gigantes e megacoloridos espalhados pelas ruas e avenidas de Belo Horizonte. O personagem criado pela artista visual Maria Raquel Couto, em 2009, se tornou tão forte que rebatizou sua criadora. Hoje, ela assina Raquel Bolinho.

Formada inicialmente em Letras, Raquel chegou a dar aulas de português e inglês antes de grafitar os primeiros bolinhos. Não tinha nenhuma formação artística quando começou e as formas dos desenhos eram bem simples e os bolinhos menos coloridos.

Mas o personagem foi, literalmente, ganhando forma. Raquel foi para a escola de artes visuais da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), onde aprendeu técnicas e conheceu novas referências artísticas. Ao longo de cinco anos, foram mais de 400 bolinhos grafitados em muros, viadutos e portões da capital mineira. Tudo como um hobby, sem qualquer patrocínio.

Mas de tão famoso, o bolinho virou estampa da autêntica e irreverente grife mineira Elvira Matilde, em 2014, e Raquel se prepara para lançar a própria marca Quero Bolinho. Esses e outros detalhes ela nos conta nesta entrevista.

raquel-bolinho

Por que você escolheu grafitar, especificamente, bolinhos?

Eu queria desenhar alguma coisa que eu gosto, aí pensei em bolo já que eu adoro comer e confeitar. O bolinho veio natural na cabeça. Além de ser gostoso, eu podia explorar esteticamente, já que ele tem várias cores, formatos e como um cupcake eu ainda podia brincar com esses confeitos. Podia desenhar coração, granulados, enfim, enfeitar com várias formas.

Apesar de a sua inspiração visual vir do cupcake, estamos falando de “bolinho”, em português mesmo. Você faz questão de espalhar esse referencial pela cidade?

É, exatamente isso. Interessante porque não dava pra ser chamado de cupcake, é uma coisa complicada pra gente, não é familiar. O nome em inglês distancia as pessoas. E, na verdade, ele é um bolinho mesmo. Quando fui registrar a marca o nome veio natural. Eu já o chamava de Bolinho.

Incomoda quando o chamam de cupcake?

(risos) É… Quando chamam de cupcake não parece que estão falando do bolinho. Eu sinto que ele é uma figura popular. O bolinho é popular. Cupcake séria o primo rico dele, né?! (risos)

Quando você percebeu que o Bolinho estava ficando famoso?

Pela internet. Depois que criei minha página no Flickr para colocar algumas fotos, as pessoas começaram a comentar. Antes eu não tinha controle. Deixava o desenho lá e pronto, não sabia quem tinha visto, se tinham gostado ou não. Pela página, comecei a ter o retorno de gente falando que achou legal, que viu um perto da casa dela ou a caminho do trabalho.

raquel-bolinho-entrevista

A fama do Bolinho foi tanta que você chegou a ser convidada por uma marca de roupas para criar estampas pra ela. Como foi?

Foi pra coleção verão 2014 da Elvira Matilde. A marca me convidou e aí criaram vários produtos com o Bolinho. Bolsa, vestido de criança, camiseta, avental. Foi bem legal e bem aceito. Os produtos acabaram rapidinho! (comemora)

Quais suas referências artísticas?

Tem umas pessoas que eu gosto, amo, e me influenciam. Acho que o Keith Haring (artista gráfico norte-americano que morreu em 1990) é um dos mais fortes pra mim. O trabalho dele é perfeito! (Uma das tatuagens de Raquel Bolinho são os famosos bonecos criados pelo artista). Ele é muito bom e ao mesmo tempo muito simples. Busco essa mesma simplicidade nos traços, sem sombra, além  das cores chapadas, sem degradê. Isso eu peguei bastante. Às vezes, eu faço um bolinho e acho que ficou com a cara do Keith Haring. Acho isso muito louco!

Já sofreu resistência com seus trabalhos?
Já… (risos) O que é mais incrível é que a pessoa que implica não tem nada a ver com o muro que eu estou desenhando. Teve um senhora que queria dar uma vassourada na gente! (gargalhadas) Veio lá do outro lado da rua. Aí, a gente teve que parar e deixar pra lá. Já teve vários trabalhos que comecei e parei. Mas eu também não vou ficar lá resistindo, brigando. Belo Horizonte é gigantesca. Vou pra outro lugar.

Previous Image
Next Image

info heading

info content


Um Comentário

  1. cristieny miller diz:

    Adoro quando vejo pelos muros os seus trabalhos……. amo os seus bolinhos . Parabéns continue colorindo e alegrando os nossos caminhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*