Loomi: o exótico limão negro

Loomi (limão negro)

Praticamente desconhecido no Brasil, o limão negro é uma especiaria de origem persa. É muito utilizado na culinária dos Emirados Árabes, Iraque, Irã, Bahrein e Kuwait, onde é conhecido também como limoo amani ou, simplesmente, loomi.

Trata-se de uma especiaria de sabor cítrico e terroso, aroma exótico, obtida por meio da desidratação de determinadas espécies de limas e limões. O loomi é, tradicionalmente, utilizado no Oriente Médio para condimentar ensopados à base de carnes vermelhas, algumas receitas de arroz, além de peixes e frutos do mar.

No caso de ensopados ou sopas, ele é usado inteiro e retirado ao final do cozimento. Já em receitas de arroz ou peixes, o limão negro é moído e salpicado a gosto durante o preparo. Quando é utilizado na forma de pó, é triturada apenas a parte interna do loomi. A casca é desprezada por ter um sabor amargo.

Limão negro loomiNos mercados árabes, o limão negro é vendido inteiro, geralmente, produzido de forma artesanal, ou em versões industrializadas, em pequenos potes, já triturado, como muitas especiarias que encontramos no Brasil.

Apesar de o nome em português ser “limão negro”, a coloração da casca do loomi pode variar do bege, passando por nuances de marrom, até o preto. Tudo depende da variedade de limão utilizada. Mas o miolo, a poupa desidratada, sempre será escuro.

Como fazer limão negro?

  • Escolha limões pequenos e bem firmes. Lima-da-pérsia é a melhor opção, mas o loomi pode ser feito também com limão-tahiti ou galego. Limpe-os bem.
  • Ferva-os em água com bastante sal grosso por aproximadamente de 20 min. Além de reduzir o amargor da casca, a salmora irá desidratar os limões, evitando a formação de fungos e criando a coloração característica da especiaria.
  • Deixe esfriar e seque-os com papel toalha. Em seguida, coloque os limões em um local ventilado e ensolarado. Os limões podem ser levados para secar sobre uma grade ou pendurados. O processo de secagem leva alguns dias dependendo da umidade relativa do ar.
  • Em regiões muito úmidas, o processo de desidratação pode ser agilizado levando os limões (já cozidos na salmora) para secar ao forno. Nesse caso, é necessário colocá-los dentro de uma panela de barro e levá-la ao forno. O fogo deve estar o mais baixo possível. Depois de os limões reduzirem de tamanho pela metade, eles devem ser colocados ao sol para finalizar o processo.

Erickson Aranda

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*